Como correr da forma certa

Pensa que apenas os membros trabalham enquanto você corre? Que nada. O corpo inteiro necessita estar na opinião pela certa ao longo o treino. E se não estiver? “ Além de provocar dores e do perigo de contusões, a postura errada interfere na capacidade e faz a indivíduo se extenuar mais ”, comenta a mestra Clarice Penna Forte, da Treta. Athletica, no Rio de Janeiro. Estes são bons causas para você preservar a série e escampar de equívocos comuns da corrida.

Posições corretas:

Membro “Os cotovelos precisam estar flexionados formando um óptica de 90 graus, com o punho pulha, a fim de auxiliar na imobilidade e na impulsão do corpo para a frente ”, explica Sidney Schapiro, ortopedista especializado em traumatologia do esporte.

Costas Devem estar em fileira perfeito com o pescoço (pulha, olhando para a frente), os ombros (abertos e soltos) e os ancas (encaixados). “O torso pode estar levemente propenso para a frente no momento em que o propósito é passar a ter rapidez ”, acrescenta Clarice Penna Forte.

Abdômen Nem totalmente pulha, de forma a entortar as costas, nem sequer completamente retesado, visto que aí o corpo encontra-se tenso e o movimento deteriorado. “A abdômen levemente contraída auxilia a endireitar a região cafangar e a tender as costas, tornando o movimento mais efetivo ”, diz Clarice.

Joelhos Cada vez que a perna é lançada para após, toque os joelhos. “ Dessa maneira, você compensa a ônus que a altercação padece a cada contato com o chão e previne traumas por força repetitivo”, orienta a personal trainer Simone Diniz.

Membro “A cada pernada, o certamente é enternecer o solo primeiro com o talão, mudar o peso para a planta do pé e, por isso, para os dedos, dando estímulo para o passo posterior ”, reproduz Moisés Cohen, diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Recuperação e Medicina do Esporte, em São Paulo.

Os equívocos mais frequentes até quem corre há um tempo acaba se distraindo e repetindo alguns vícios. Fuja deles!

Pilar com o pé inteiro no chão: isto significa ônus nos joelhos, tornozelos e coluna, uma vez que não ocorre a subdivisão do embate durante da pernada.

Enternecer o solo primeiro com a ponta dos dedos: “É uma forma de agilizar o movimento, no entanto sobrecarrega a massa magra tibial antepositivo, que se encontra na parte da frente da perna “, afirma Lafayette Lage, ortopedista especializado em medicina esportiva.

Permitir passadas bastante curtas: “ Quanto maior o passo, maior é a economia de movimento e mais a indivíduo vai transcorrer na passagem, além de evitar lesões nas articulações dos joelhos e dos tornozelos por força repetitivo”, avisa Clarice Penna Forte.

Alongar-se o pescoço à frente ou correr olhando para o chão ou para o lado: qualquer uma dessas situações gera preocupação na coluna e, com o tempo, dores), além do desalinhamento das costas, com isso você fará a corrida perfeita.

Deixar o membro completamente soltos para baixo: atrapalha a impulsão do corpo e a chefia dos movimentos das patas inferiores com os superiores, que é o que protege o ritmo da corrida. E mais: nessa opinião, os ombros vão para a frente, desequilibrando a postura.

Correr com os ombros abertos demais: o peitoral é levado para a frente, o que projeta as ancas para após e sobrecarrega a cafangar.

 

Quer ser fera na corrida? Acesse o blog do julio